COMPLEXO RESPIRATÓRIO VIRAL FELINO

O complexo respiratório viral felino (CRVF) é uma doença que engloba os vírus: calicivírus (causa a calicivirose) e o herpesvírus (causa a rinotraqueíte). Muitas vezes esses dois vírus estão juntos causando a doença, com o agravante de uma infecção secundária por micoplasma em trato respiratório superior. Mas estes microorganismos podem estar sozinhos também causando os sinais clínicos de gripe, que é o que caracteriza o complexo respiratório. Clinicamente não dá para diferenciar a calicivirose da rinotraqueíte, pelo motivo de poderem acometer juntos o mesmo gato, e o tratamento é o mesmo para qualquer das duas doenças. Por isso, convencionou-se que independentemente do causador, seria chamado de complexo respiratório viral felino.

Essa doença se caracteriza por espirros, secreção nasal, conjuntivite, gengivite e úlceras orais (esses dois últimos sinais clínicos relacionados à calicivirose). Alguns apresentam uma forma mais branda, dependendo da idade e da imunidade do gato. Aqueles que não foram vacinados ou os filhotes apresentam uma forma mais severa de sinais clínicos, além de perda de apetite, halitose, respiração com a boca aberta quando há muita secreção nasal, desidratação. Dificilmente essa doença progride para os pulmões causando pneumonia, pois ela acomete principalmente trato respiratório superior (nariz, cavidade oral, laringe e traquéia).

É uma doença altamente contagiosa, de muito fácil disseminação, através de contato direto e por fômites (paninhos, comedouro, bebedouro, mãos dos proprietários). O vírus é capaz de contaminar um gato através de aerossóis de até 1 metro de distância.

Muitas pessoas acham que “gripe” nos gatos e rinotraqueíte são coisas diferentes. Não existe “gripe” nos gatos, existe sim o Complexo respiratório viral felino, que é a rinotraqueíte e/ou a calicivirose, que provoca sinais de gripe no gato.

Os gatos que apresentam rinotraqueíte não conseguem eliminá-los em 80% dos casos. Eles ficam com o vírus em latência, e sempre apresentam sinais clínicos quando a imunidade diminui.

A vacina quádrupla e a tríplice protegem contra a doença. Mas é claro, tudo vai depender da imunidade do gato. Mas mesmo que tenham contato com o vírus e contraia a doença, ela vai aparecer no gato vacinado de uma forma muito branda. Na maioria das vezes, com poucos espirros e secreção nasal aquosa.

O tratamento é paliativo e visa aumentar a imunidade do gato e aliviar a respiração dificultosa através da diminuição da secreção nasal. A doença permanece ativa por uns 10 dias.

Previna seu gato contra essa doença, vacinando-o anualmente com o veterinário do seu amigo felino.


 Endereço: Rua Araribóia, 568, 29100-340 - Vila Velha - ES                                                                        

© 2014 - Gatomania | All rights reserved